Interiores comerciais.

Já dizia o ditado “A primeira impressão é a que fica.”. Mostrar um produto é importante mas, não tanto quanto vender o momento, o sentimento da compra, um momento, uma satisfação pessoal. As mudanças ocorrem, graças a Deus, e com elas, todas as suas particularidades e processos que vão diferenciar o posicionamento das lojas dentro do mercado. Nada como começar focando o primeiro insight do cliente: A Vitrina! (*vitrine vêm do Francês, vitrina é termo correto, “abrasileirado”.).

Vitrina detém de diversas disposições dentro do comércio, isso vai depender muito do público alvo e muito do ambiente no qual você quer teatralizar. É como se fosse uma cena de um filme. Não precisa ter medo de errar. (*Fleming descobriu a penicilina, graças a um fungo que contaminou uma lâmina em cima da mesa do laboratório, hoje, ela salva pessoas da morte e dores insuportáveis. Erro certeiro!)  O menos de antes é o açúcar que precisava na receita ideal do bolo da vó de hoje, aquele que vamos passar para nossos netos. O Menos é interessante mas, inibe o poder de inovação que o mercado permite que você possa transitar.

Antigamente, no pós-guerra, as necessidades básicas da população eram grandes, precisava-se reconstruir-se e construir. No mais, não destruiu a força de um povo em querer crescer muito. Foi o grande alicerce do comércio mundial. Mulheres trabalhando, e muito ; o mercado concorrendo, finalmente, a vida mudou. Como as vitrinas, antes, a zona destas seriam na porta de entrada dos ambientes, exclusivamente. Agora, ela pode estar bem posicionada e bem projetada no interior das lojas, fazendo assim um chamarisco para clientes distraídos. Enfim,  São de 5 a 15 segundos que fazem o cliente querer entrar ou não. São injustos 5 segundos que te diferem de um concorrente. Thats the big moment!

Como não falar do maravilhoso mundo das cores perante todo esse cenário? A cor vermelha. Consta, no psico, um olhar mais fixo aos olhos, quase um repúdio às fortes emoções, tornando a estadia no local do cliente super rápida, estilo “fast food”. O “Mac Donalds” possuía essa leitura visual. Cores quentes, muita iluminação, quem iria sentar a tarde toda para comer um sanduiche? Bem, os adolescentes nunca iriam se importar pois, eles estão dentro do super power magic world “Mac Donalds”.  Agora, eles repaginaram todos os locais da loja e podemos desfrutar de um lanche com uma tarde de conversa. Lembrando que o vermelho detém de grande personalidade juntamente com cores de contraste, com cores escuras, ela é uma cor surpreendente pois pode ir contra você se não utilizada da maneira correta.  Então, take care! Esta é cientificamente comprovado que causa nas pessoas problemas cardíacos.(Na dúvida tasca um google e leia você mesmo.).

A cor amarela, pode ser utilizada proveitosamente em espaços onde envolve criatividade. Porém, cansa depois de um tempo. O amarelo abraça a criação e fica ótimo em escritórios, quartos de crianças ou, fazendo um detalhe em um ambiente social, (*quando é um cliente que pode manusear sua casa de tempos em tempos.)  O verde,  é a confiança. Aos olhos de quem está negociando. E isso tudo, não estou falando em “Feng Shui” (*Feng Shui: termo chinês, Segundo esta corrente de pensamento, estabelecendo uma relação *yin yang (Vento – yang – e Água – yin -) representariam o conhecimento das forças necessárias para conservar as influências positivas que supostamente estariam presentes em um espaço e redirecionar as negativas de modo a beneficiar seus usuários.)  mas estou falando no quesito psico das cores. E para finalizar, a terceira cor primária, a azul, que trás seriedade. Seus novos tons estão realmente fazendo-o adentrar aos ambientes cada vez mais.

Acho surpreendente quando ouço algo assim: “Mas isso fica mais bonito.” Alguém por favor me define o que é beleza? O que é ser bonito? O que é estar bonito? É uma resposta tão complexa quanto falar do gostos. Beleza é altamente cultural e age de maneiras diferentes em todas as pessoas. A persuasão visual, a apelativa de imprensa e a sua história de vida, definem o seu belo.

Mas, percebendo o que a grande massa quer, percebe-se a grande adoração pelo forever white, bege (clarinho). Isso, como digo, é um pensamento cultural e de clientes que detém de insegurança quanto ao seu uso. Basta um pouco de conversa, um pouco de ensinamento e demonstrações do conceito, não é? Mostrar um leque de opções demonstra a que altura de profissional você está.

Na Coréia do Sul e na Inglaterra já possuem um trem, onde nas paredes possui um adesivo dos produtos, como se fosse em um mercado. Enquanto você espera o trem, confere os produtos dispostos nas vitrines, e escaneia o código de barras dos produtos com seu Smartphone , aciona seu celular e quando chegar em casa seu produto está lá.

Vídeo do metro. Calma pessoal, apenas muita inveja nessa hora!

Um dos metrôs repaginados no Japão.

Aqui no Brasil isso não funcionaria. O primeiro motivo: o grosso do sistema é de superfície. Diferente de São Paulo, onde os vagões da CPTM ficam meio longe de tudo na marginal ou passam por baixo a custos altíssimos, em Tóquio o trem domina. (E toda uma questão por trás disso..)

Há um vídeo também que muitos devem conhecer. Um local onde nas escadarias de um metro foi posto teclas de um piano em cada degrau. Para ver o vídeo vamos esquecer manutenção e durabilidade para maior visualização do vídeo.  Será que o fluxo de pessoas aumentou depois disso? Precisa responder?

Existe o pensamento :”As pessoas irão adentrar primeiro pelo lado direito, pois nosso cérebro detém dessa particularidade”. Bom, nisso, não achei nada cientificamente comprovado, apenas vários dizeres. Percebi essa concepção em lojas como “C&A”.  Interessante é pensar nos shoppings. É mais fácil achar uma agulha no palheiro do que as cabines de estacionamento(com exceções.), fazendo bastante cooper você pode até repensar em uma blusa que viu na ida até lá. Incrível, né?

Nos caixas de supermercados existe a divindade do merchandising. Gôndolas que mais parecem um “segundo mercadinho”, pequenos produtos berrando: “Me levem  daqui!” Essa disposição ajuda na venda de produtos que normalmente o cliente não veria porque obviamente não estava procurando mas, acaba levando. Ah, e a padaria e açougue estão sempre na parte traseira, supermercados são dignos de palmas de tanto merchandising  que possuem.

Já existem em lojas,  onde existem computadores pelas lojas, você tira uma foto, e, como a loja que administra os produtos dentro dos “PCs”, você pode ver como ficaria as roupas que estão na loja em você. O que nos faria adentrar menos nos provadores. Falando neles, vamos repensar o fato de que a estadia dentro do local dos estabelecimentos ás vezes é maior do que fora desses. É de se repensar em conforto térmico e  iluminação, não é? Não “sobreerrar” é necessário. (Acabei de inventar essa palavra.)

Existirá um computador que possamos colocar a foto de nossos interiores e colocarmos na mesma hora, um quadro, uma luminária, alguns adornos, para vermos como realmente ficariam? Afinal, já estamos na onda “Mobile”, m-commerce (*comércio móvel.)  Somos mais de 200 milhões de celulares, estatística que mudará daqui 2 minutos, se é que me entendem.

Bom, eu continuo batendo no martelo que “criatividade” deveria coexistir em forma de matéria escolar, até pela mudança comportamental no advir das gerações até hoje.

Não poderia deixar de terminar o texto dos novos nichos de mercado: idosos , luxo,” tween”, GLBT, “kidults”, geração x, geração y  geração z e, eco-sustentável.

Vamos nos antenar, amanhã outro nicho adentrará ao mercado sem mesmo percebermos.

Bons projetos!

Thonia.

Design & Projeto – Arquitetura e engenharia   |    Selent Construtora  &  Incorporadora.

* idosos ou “The new rich”: Depois de muito tempo trabalhando, encontram-se entre as classes AA.

*tween: crianças de 8 a 14 anos. Mistura de “teens” (*adolescente, em inglês.) com “between” (no meio de , em inglês.) Exigentes, antenados com a tendência da moda, tanto tecnológica quanto de vestuário. Detém de um bombardeio de informações fazendo-os assim, virarem grandes consumidores.

* GLBT:  Gays Lésbicas Bissexuais Transexuais.

* Kidults: Jovens e adultos consomem produtos que antes eram destinados às crianças.

* Geração x: Pessoas nascidas em 1960 à 1970, no máximo 1982.  Geração nascida após o “Baby boom”.

* Geração y: Se desenvolve numa época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade econômica. Pais encheram-nos de presentes, muitas vezes que não puderam ter.

* Geração z:  Segunda metade da década 90. Nativas digitais.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s